Plano Atividades 2016

Plano de Atividades

para 2016

O Plano de Atividades de 2016 coloca ainda com mais premência aos sócios a questão da sustentabilidade da associação.

De facto torna-se imperioso encontrar fontes de sustento que, avaliando o exercício de 2015, foram muito difíceis de encontrar.

Mantém-se ainda a necessidade estratégica de dar a necessária visibilidade ao Musas e à Quinta Musas da Fontinha, sempre através de iniciativas públicas, entre elas exposições, debates, feiras e outras iniciativas, tendo-se ativado já a informação veiculada através do blog e das redes sociais. É possível, contudo, melhorar ainda um pouco mais neste domínio.

Entre as atividades que o Musas irá manter e as novas a desenvolver propõe-se, no fundamental, as atividades já apontadas para 2015:

Quinta Musas da Fontinha

Continua por realizar a elaboração de um conjunto de direitos e deveres dos hortelões, que evitem situações de hortelões que mantêm uma horta durante anos aparecendo muito poucas vezes e que não garantem o seu cultivo.

Agora que a gestão do pagamento da água está definida, devemos concentrar-nos mais na questão da minimização dos gastos.

Continua a ser necessária a concretização da criação do viveiro de plantas na zona da antiga estufa hidropónica ou de soluções para o forno amovível.

Atividades desportivas e afins

Xadrez

No ano de 2016 vamos prosseguir o trabalho na Escola de Xadrez de Campanhã. Foi obtida a colaboração da Cooperativa dos Maquinistas e Fogueiros do Minho e Douro em cujas instalações irá decorrer a formação e onde serão realizadas provas competitivas. Continuaremos a estabelecer contactos para alargar a formação a mais escolas, sendo alvos prioritários a Escola da Fontinha e a Escola do Cerco.

Vamos organizar alguns torneios, para dar aos nossos atletas e a outros atletas do distrito a possibilidade de competir sem o custo das viagens. Vamos manter a divulgação em espaços abertos ou na rua (quando for possível). E pensamos retomar a realização de novos Torneios “Xadrez e Amizade”, em espaços não convencionais para o xadrez (cafés, associações,…).

O Musas participará de novo, com atletas seus, sobretudo nos campeonatos distritais de equipas nas várias modalidades, de partidas clássicas, rápidas e semi-rápidas, e nos campeonatos nacionais quando tal seja possível, sem dispêndio para a coletividade. Participará também, quando possível, nos campeonatos individuais, distritais e nacionais, de acordo com o mesmo critério.

Além da “Escola de Xadrez de Campanhã”, onde pais e filhos podem aprender juntos o xadrez, o treino dos adultos manter-se-á nas sextas-feiras à noite e havendo procura faremos formação de jovens e adultos aos sábados de tarde na sede fora das datas de calendário ocupadas por provas.

Escalada

O Musas irá desenvolver várias atividades de introdução à prática da escalada, aprofundando a iniciativa avançada no exercício que agora cessa.

(Atividades desportivas e afins condicionais)

Go e Xiangqi

Se houver condições para tal, haverá abertura para a prática de outras modalidades, tais como o Go e o Xiangqi, mas tal depende do interesse e disponibilidade dos sócios.

Criação de uma secção de Futebol

Continua de pé, a prazo, a criação de uma equipa de futebol com intuitos lúdicos.

Criação de uma secção de Cicloturismo

Encara-se a possibilidade da criação de uma secção de Cicloturismo, dependendo do desenvolvimento das propostas concretas dos sócios.

Atividades de Ar Livre

Irá procurar dinamizar-se a realização, já prevista mas não concretizada no ano anterior, de caminhadas pelo Porto:

Porto ecológico e ruralcaminhadas por hortas urbanas e zonas verdes ou rurais da cidade;

Caminhadas históricas, com o Terra Vivasobre a história social do porto, constituídas por momentos de conversa prévia para contextualização e exploração dos tópicos a visitar pela cidade;

Passeio de bicicleta e piquenique no Parque Paleozóico de Valongo.

Jogos tradicionais

Jogo do Pau

De acordo com o real interesse que for manifestado por praticantes que, à partida, estão disponíveis para animar a atividade, o Musas está aberto para a divulgação, ensino e prática do jogo do pau.

Realização de novo torneio de malha no logradouro, caso haja iniciativa dos sócios.

Biblioteca

Continuação da divulgação da biblioteca e dinamização do serviço de empréstimo domiciliário;

Continuação do trabalho de registo e catalogação de livros;

Criação do centro de documentação de publicações e informações sobre ecologia, hortas, agricultura, ambiente…;

Melhoria, se possível da listagem das publicações existentes no nosso blogue na internet, onde seja mais amigável a consulta por tema, título ou autor.

Exposições

Prosseguir a realização de exposições, e o contacto com artistas com propostas para o espaço, tanto no domínio da Arte como no Artesanato.

– Exposição de cartoon de Jorge Lousada;

– Exposição de Banda Desenhada de Gui Castro Felga;

– Exposição de Banda Desenhada de Marco Mendes.

– Outras… (abertura total a novas propostas)

– Mostra de Artesanato (Rosa Branca,…).

Conversas

Com editores:

– Apresentação de um número do jornal “Mapa”, com a presença dos editores, em data a confirmar.

– Apresentação de um número da revista “Flauta de Luz”, com a presença do editor, em data a confirmar.

Conversas sobre temas agrícolas, em datas a confirmar:

– Com Margarida Silva, sobre OGM.

– Com António Strecht, sobre Agricultura Biológica.

Comemoração dos 72 anos do Musas.

Edição e informação

Desde que existam voluntários para tal:

Estudar seriamente a possibilidade de edição de um fanzine do Musas/QMF.

– Manter atualizada uma informação sobre atividades interessantes na cidade e outros locais.

Datas e efemérides a assinalar condicionalmente

18 de janeiro

Primeira greve geral contra o fascismo em Portugal

Assinalar a data da revolta dos trabalhadores e contextualizar com o cenário atual (colaboração com SOV-AIT).

8 de março

Dia Internacional da Mulher

Trazer a questão feminina a debate;

Realizar exposição. Com Andreia Ferreira ou Ana da Palma.

27 de março

Dia Mundial sem Carne

(Primeiro sábado a seguir ao Equinócio e ao Dia da Árvore)

Conversa/oficina sobre o vegetarianismo, organizar vurrasco – churrasco vegetariano;

Assinalar a chegada da primavera na horta;

Organizar atividades para crianças sobre a temática da floresta.

25 de abril e 1 de maio

Conversa sobre os tempos do fascismo e a da vida em ditadura, com José Paiva, preso antifascista;

Projeção de alguns dos filmes

– “Bom Povo Português” (74/75) de Rui Simões;

– “Torre Bela” (77), de Thomas Harlan;

– “Índios da Meia-Praia” (76) de António da Cunha Teles.

– “Linha Vermelha”, de José Filipe Costa.

5 de junho

Dia Mundial do Ambiente

Organizar evento sobre a temática com as escolas da freguesia.

1 outubro

Dia Mundial da Música

Organizar concerto.

9 de novembro

Dia Mundial do Xadrez

Organizar magusto e torneio na Quinta.

Outras atividades condicionais

Poesia

ROMP – Recital de OutonoMusas Poesia (Festival Poético)

Preparação de uma nova edição, se possível.

Realização do site para publicação dos trabalhos expostos e lidos na edição #0.

Lançamento dos convívios poéticos.

Visitas

  • Banco de Germoplasma Vegetal;

  • Quinta da Boucinha;

  • Quinta do Juncal;

  • Núcleo AgroEcológico de Campo do Gerês;

  • Quinta do Olival.

Laboratório de Informática

– Continuação de recolha de material informático e respetiva recuperação para montagem do centro digital. Doação de material excedente.

– Oficina de iniciação ao Linux e de instalação de sistemas operativos de software livre.

– Organizar conversas ou eventos:

– Document Freedom Day e Software Freedom Day.

Cinema

Reativação da iniciativa Pratos e Fitas projeção de um filme na última 5ª feira de cada mês, com jantar.

(Os filmes poderão ser documentários, ficção ou animação, e serão escolhidos pontualmente com a possibilidade de se criarem ciclos, com sessões de periodicidade mais curta).

– Exibição do filme do Igor Dimitri sobre a QMF, em data a confirmar.

Outras oficinas

– Tijolo de saibroecoconstrução (Henrique Silva)

Restauro de móveis (Luís Lereno)

Área económica

– De acordo com a disponibilidade dos sócios, voltar a pôr o bar em funcionamento regular, dando uma maior animação ao espaço.

– Manter um espaço de loja do Musas, com vários artigos para venda, como a t-shirt Quinta Musas da Fontinha e outros.

– Participar em iniciativas de troca direta ou sistemas trocais que se venham a desenvolver na cidade.

– Ativar dias de feira de produtos biológicos ou de artesanato.


Leave A Comment